Acidentes domésticos com os pets, o que fazer?

Acidentes domésticos com os pets, o que fazer?
27/out/2015
0 comentários

 

Na maioria das vezes os pets de estimação não conseguem identificar uma situação de perigo. Por serem curiosos, ativos e inocentes, muitas vezes os animais se colocam em situações de risco que podem custar caro a eles e também aos seus proprietários. Grandes alturas, lugares escorregadios, beira de piscinas, varandas, fios elétricos, pesticidas, desinfetantes, objetos cortantes e sacos plásticos são alguns dos mais comuns vilões que põem em risco a integridade e a vida dos nossos animais. Em caso de acidente, é importante sempre manter a calma e não perder o controle, procurando sempre tomar a providência mais adequada para determinada situação. Cada caso requer uma reação especifica. Pensando nisso separamos  algumas dicas, confira:

ENVENENAMENTO: Causado por ingestão ou contato com produto de limpeza pesticida, medicamento, alimentos deteriorado etc. Pode afetar os sistemas cardiopulmonar, nervoso e digestório, provocando geralmente intensa salivação, tremores, prostração, etc

O QUE FAZER? Envenenamentos são emergências e, nesses casos, o ideal é procurar imediatamente um médico veterinário. A indução do vômito, logo após a ingestão de produtos como inseticidas, raticidas ou plantas tóxicas é uma medida eficaz para ajudar a eliminar o veneno. Isso pode ser conseguido administrando ao animal por via oral, 5 a 10 ml de água oxigenada (3%) ou água morna com sal em intervalos de 5 ou 10 minutos. No entanto, nem sempre a indução do vômito é recomendada, como no caso de ingestão de substâncias extremamente irritantes ou cáusticas (produtos de limpeza, alvejantes, sabão em pó, etc.). Nesses casos, recorre-se à lavagem gástrica, feita na clínica veterinária.

Uma outra medida eficaz nas intoxicações é impedir que o tóxico seja absorvido pelo organismo. Para isso, faz-se uso de substâncias como o carvão ativado, misturado à água do animal. Ele se “ligará” ao veneno, impedindo que o mesmo seja absorvido. Mas essa medida só tem efeito que realizada logo após à ingestão do tóxico. O uso de diuréticos ajuda a eliminar substâncias tóxicas já absorvidas pelo organismo.

Sempre que possível, levar a embalagem do produto que, suspeita-se, tenha intoxicado o animal. Existem várias substâncias que causam sintomas semelhantes. O veterinário, conhecendo o princípio tóxico, poderá instituir um tratamento adequado.

HEMORRAGIA: Ocorre geralmente após algum tipo de rauma ou por ingestão de corpos estranhos. Pode ser crônica ou aguda, sendo esta ultima a mais grave e com sintomas mais acentuados.

O QUE FAZER? A hemorragia aguda exige intervenção imediata de um médico veterinário. Caso seja devida a cortes a primeira reação é tentar estancá-la exercendo pressão sobre o local com um pano limpo. Se for sangramento nasal, coloque sobre o focinho compressas com gelo e mantenha o animal calmo até chegar ao veterinário. A hemorragia crônica por não ser evidente, é a mais perigosa pois vai minando a resistência do animal lentamente. Geralmente é notada por clareamento das mucosas (gengivas, lábios, conjuntiva), diminuição da perfusão capilar (demora mais que dois segundos para cor da mucosa se igualar depois de pressionada), aumento da frequência respiratória e cardíaca, esfriamento das extremidades e prostração. Dependendo da gravidade pode ocorrer choque hipovolêmico, com perda da consciência e óbito. Deve-se consultar o veterinário tão logo seja detectado o problema para ele tentar diagnosticá-lo e recomendar tratamento.

CORPOS ESTRANHOS: São objetos que ao entrar no organismo ficam retidos causando problemas. Os mais comuns são pedaços de brinquedos, ossos, espinhas de peixe etc, presos em qualquer altura do trato digestivo.

O QUE FAZER? Importante não tentar causar vômito. Caso não consiga retirar manualmente, procure o veterinário.

Em qualquer tipo de acidente manter a calma e agir com presteza é a melhor reação.

Fonte: FVO ALIMENTOS