Cães de trabalhos especiais

Cães de trabalhos especiais
29/maio/2018
0 comentários

A relação do homem com os cães começou há mais de 15 mil anos. Enquanto os animais se aproveitavam das sobras de comida que as populações deixavam, os homens viam como vantajoso a presença dos cães, pois eles serviam como um sistema de alarme contra estranhos, garantindo a segurança da população local. Com o passar do tempo, o homem encontrou outras atividades que poderiam ser exercidas pelos cães. Esse foi o início do desenvolvimento de raças aptas ao trabalho. Confira abaixo as principais tarefas e as raças mais indicadas para cada tipo de função.

 

CÃES DE GUARDA

Provavelmente essa é a primeira utilização de cães para o trabalho, principalmente pelo modo em que a relação com o ser humano começou. Atualmente, cada vez mais é necessário se preocupar com a segurança. Dessa forma, foram criadas diversas raças com objetivo de aumentar a proteção.

Esses cães costumam ser utilizados para garantir a segurança de casas e empresas, mas para isso devem apresentar características importantes para exercer essa função. Precisam ser territorialistas, com latido forte e porte físico avantajado. É válido lembrar que para essa tarefa é recomendado o acompanhamento de um adestrador, que irá preparar o animal e ajudá-lo a desenvolver ainda mais suas aptidões naturais. Assim, as chances de sucesso aumentam no desempenho da função de guarda. As raças mais comuns para esse serviço são: Cane Corso, Doberman, Pastor Belga Malinois e Rottweiller.

 

CÃES-GUIA

Existem registros dessa utilização desde a época da Idade Média, quando foi encontrado um desenho que retratava um cão guiando uma pessoa cega. Após a Primeira Guerra Mundial, foi criada na Alemanha a primeira escola de treinamento de cães-guia. O objetivo da escola era educar os cachorros para facilitar a vida de soldados que haviam perdido a visão durante a guerra. Desde então, a prática acontece frequentemente nos dias de hoje.

Pela importância do trabalho desses cães, é necessário que haja um longo processo de adestramento. Quando bem preparados, podem proporcionar ao dono uma melhora na qualidade de vida e muito mais segurança no seu cotidiano. Eles são capazes de identificar e desviar de objetos, sentir o movimento do trânsito e até mesmo achar a entrada e a saída dos lugares. Mas, para se tornar um cão-guia, é preciso ser inteligente, dócil e ter boa memória. As raças mais comuns para a atividade são: Pastor Alemão, Golden Retriever e Border collie.

 

CÃES FAREJADORES

Essa função surgiu quando caçadores utilizavam cachorros para achar e buscar os pássaros que eram abatidos. Os Animais que atuam como farejadores costumam trabalhar com bombeiros e na solução de casos policiais. São eficientes na identificação de drogas, no resgate de vítimas e até mesmo na procura de materiais explosivos.

Para exercer essa atividade, é necessário que o cão apresente comportamento curioso, corajoso e que tenha bom olfato. Características físicas como pernas curtas também são importantes por aproximar o animal do chão, facilitando o procedimento. As raças mais apropriadas para farejar são: Beagle, Basset Hound, Pastor Belga Malinois e Cocker Spaniel.

Recentemente observamos a atuação desses cães na tragédia que aconteceu no Largo do Paissandu, em São Paulo. Devido ao desmoronamento do prédio, diversas pessoas ficaram desaparecidas embaixo dos escombros. O trabalho dos cães está sendo fundamental na procura e identificação dessas pessoas.