Labradores são utilizados por polícia norte-americana no combate ao terrorismo

Labradores são utilizados por polícia norte-americana no combate ao terrorismo
28/out/2018
0 comentários

A polícia norte-americana começou um projeto com labradores em 2012 para melhorar as buscas por materiais eletrônicos que podem ser usados para crimes de terrorismo. Tudo começou quando um major da Polícia Estadual de Connecticut teve interesse em saber se era possível treinar cães para encontrar esse tipo de material. Após analisar eletrônicos como celular, pen drive e cartão de memória, descobriu uma placa de circuito que era comum entre a maioria deles e então começou um treinamento para identificar os materiais.

O treinamento foi feito com a utilização do faro para identificar os produtos através de um sistema de recompensa. “Geralmente, o treinamento de faro é feito antes da alimentação, então o petisco é uma recompensa, mas a refeição depois também é uma espécie de bonificação pelo trabalho do animal”, diz Ricardo Tamborini, especialista em comportamento animal.

A raça eleita para a função foi o Labrador, por apresentar instinto de caça e comportamento enérgico, que traria maior determinação no momento de aprendizado. “O cão de faro não pode ser apático, precisa ser um cão pilhado, porque quanto mais energia tiver, mais ele vai querer trabalhar”, diz o especialista.

Caso de sucesso

O resultado foi o melhor possível e ganhou destaque na mídia depois de um caso de sucesso. O episódio aconteceu em Nova York, quando uma labradora chamada Harley, de dois anos, descobriu junto ao seu treinador policial uma câmera digital e quatro celulares escondidos em um apartamento de dois irmãos investigados por posse de materiais explosivos. Os materiais serão importantes no desfecho do crime, pois serão utilizados para comprovar o caso investigado pelo FBI, em que Christian e Tyler Toro foram presos.

Fonte: Uol Notícias